Arquivo de etiquetas: Políticas educativas

Desintelectualização

Sinal do séc. XXI ou talvez indício que as Humanidades não tem lugar num currículo de uma educação simples e direta, com direito a todos os lugares comuns mas sem profundidade:

A professora de português que não gosta de ler não é um caso, mas um problema disseminado na educação – a proletarização dos docentes, transformados em mediadores de entrega de conteúdos pré feitos, desprovidos e expropriados do seu ser-pensar-intelectual.

Em concordância: Um Fino Verniz E Nada Mais

Discursos do politicamente correto

Nos transportes públicos e na escola pública, por forma a assegurar o distanciamento físico recomendado (2 metros) entre as pessoas é algo que aparentemente tem o rótulo "sempre que possível", ou seja, pode ser impossível ou demasiado dispendioso ou que não é oportuno ou que fica bem nos documentos oficiais em vigor ou ...

Distâncias, escolas & pandemia

Apanhados na WWW

Fazer horários nas actuais circunstâncias é um trabalho difícil. Há duas possibilidades principais: manter mais ou menos as coisas como estavam no regime presencial, se é que os horários estavam bem feitos ou redesenhar por completo a lógica dos horários e da própria geografia escolar, com horários desfasados e um "zonamento" temático/por ano/ciclo da escola, um pouco como já existiu em construções escolares do passado ou, por exemplo, em algumas EBI.

Apesar de boas práticas que sempre existirão, afirmei “o que com enorme esforço e motivação foi estruturado no ensino à distância (E@D) foi uma resposta de emergência que procurou substituir e minimizar o impacto do encerramento das escolas, mas não é uma alternativa, dificilmente o será sobretudo nos primeiros anos de escolaridade e em particular no caso de alunos com necessidades especiais".

Diversos cenários que têm sido projectados para o novo ano lectivo: aulas presenciais para todos ou só para os mais novos; regime de turnos e horários alargados para reduzir a concentração dos alunos; b-learning, com algumas aulas na escola e as restantes em modo não presencial; regresso da telescola. Contudo, as indicações do SE Costa aos directores têm sido bem mais simples e taxativas.

Último dia de aulas do ano letivo 2019/20. Um dos inúmeros balanços que surgiram nos últimos dias. Entre todos os textos produzidos desde 13 de março de 2020, é notório que até ao momento existe uma inflexão no discurso entre a adesão entusiástica inicial / um novo futuro para a Educação através do E@D (enfâse no pormenor do @) e a linguagem atual de Ensino Remoto (de Emergência). Partes do modelo atual podem / devem ficar para o futuro mas tudo deve ser repensado, em particular, a inclusão.

Barroso, E. (2020). O Ensino@Distância não foi um sucesso. Acedido a 23 de junho de 2020, em https://www.publico.pt/2020/06/22/p3/cronica/ensinodistancia-nao-sucesso-1921151