Arquivo de etiquetas: Paulo Guinote

Inércia organizacional

As transformações nos sistemas educativos e na Educação decorrem de forma lenta, mesmo quando existe abundante legislação no sentido da mudança. São instituições que evoluem no tempo longo, mesmo quando se alteram algumas práticas e indicadores a curto prazo sob a pressão de agendas políticas ou circunstâncias especiais. O exemplo português não é excepção e a maior anomalia é existir quem pense que num ou dois mandatos se pode mudar a face da Educação de forma sustentada para além de algumas facetas estatísticas.

Ligação

Esta seria a última semana de aulas, aquela que é habitual polvilhar com imensas actividades extra-curriculares e poucas aulas com conteúdos do programa, salvo quem gosta de aproveitar todo o tempo lectivo até ao último minuto. Mas a regra é a da entrega das últimas fichas, da realização da auto-avaliação pelos alunos e de uma conversa em forma de balanço final com cada turma.

Constituição da República Portuguesa

A Constituição da República Portuguesa indica que:

Artigo 26.º
Outros direitos pessoais
1. A todos são reconhecidos os direitos à identidade pessoal, ao desenvolvimento da personalidade, à capacidade civil, à cidadania, ao bom nome e reputação, à imagem, à palavra, à reserva da intimidade da vida privada e familiar e à protecção legal contra quaisquer formas de discriminação.

Possibilitando a todos o acesso a um ensino público de qualidade, podemos ter opiniões fundamentadas e críticas - Abandonai Toda a Esperança, Vós, Que Aqui Entrais - o que iria ter um efeito totalmente diferente no período anterior a 25 de abril de 1974.

A ler!

O Ódio Irracional aos Professores - Paulo Guinote

“O professor merece reverência, a começar pelo cargo que representa, pelo simples facto de ser professor. A partir do momento em que se mina esse sentimento, tudo pode acontecer.”

João Lobo Antunes (Ensino Magazine, 2009)