Arquivo de etiquetas: Máquina de fazer parar o tempo

Ficheiro perdido

Paciência vs. burocracia

Quando é tudo para ontem e pedem a mesma informação n vezes, sendo que o pedido n+1 será sempre num suporte / formato diferente do anterior começa a faltar a paciência. Sendo que o tempo não é algo que não existe em quantidade infinita e que o Paulo Guinote já escreveu:

"Não é multiplicar operações ou agregá-las de forma mais complexa do que antes. No fundo, é tornar mais simples, célere, amigável, algo que se fazia antes. Só isso."

Não há muito mais a dizer. Simplificar não é multiplicar o mesmo pedido por n!

P.S. Cada um substitui n pelo número que desejar.

It's been one hell of a ride

O que se descobre a arrumar arquivos:

(2005 - 2019)

Foram anos em que os adjetivos não traduzem a experiência! Momentos impressionantes, alguns completamente loucos, instantes únicos, algumas situações perigosas, muitas emoções, mudanças e reviravoltas, pessoas marcantes.

Deadline

O tempo é implacável e não perdoa. Curioso como o subconsciente consegue operar a um nível mecânico e sem questionar indicar o número de dias até a uma determinada data.
Contar os dias para um determinado momento é algo que cada um encara de forma pessoal e intransmissível. As estações do ano são marcantes, além de sinalizarem a passagem do tempo permitem recomeços, paragens, suspensões e ansiedade por instantes específicos.
Quando algo tem um termo não significa que se vai aceitar tudo até esse momento. Tudo o quanto ocorre até esse momento é transformado em algo efémero, as partes desagradáveis ganham uma dimensão que as desvalorizam.

No sentido do futuro e apenas permite ver o passado, assim é o tempo. Sempre presente, em todos os instantes, aparenta por vezes ter fluências diferentes, prosseguido sempre na mesma direção.