Arquivo de etiquetas: Estatísticas & Educação

Publicação CNE | Estudo - Desempenho e Equidade: Uma análise comparada a partir dos estudos internacionais TIMMS e PIRLS

Publicado o estudo Desempenho e Equidade: Uma análise comparada a partir dos estudos internacionais TIMSS e PIRLS. Uma análise que parte dos resultados dos estudos internacionais TIMSS (Trends in International Mathematic and Science Study) e PIRLS (Progress in International Reading Literacy Study) e que avaliam os conhecimentos dos alunos do 4.º ano de escolaridade em Matemática, Ciências e Leitura.

Entre as conclusões deste estudo podemos destacar os argumentos que permitem “identificar um conjunto de fatores que poderão contribuir para explicar o desempenho dos alunos” conjuntamente com a análise “em que medida esses mesmos fatores são promotores de igualdade de oportunidades no acesso à educação”.

Desempenho e Equidade: Uma análise comparada a partir dos estudos internacionais TIMMS e PIRLS; Conselho Nacional de Educação

Nessa medida, destacam-se algumas das conclusões do estudo: i) “Alunos com origem em famílias com elevado Capital familiar têm melhores desempenhos do que os alunos com origem em famílias com menos recursos económicos e sociais”; ii) “Quanto melhor os alunos dominarem ferramentas básicas de literacia e de numeracia antes de iniciarem a escolaridade, maior é a probabilidade de terem bons desempenhos em Leitura, em Matemática e em Ciências no 4.º ano de escolaridade”; iii) “Uma frequência mais prolongada de Programas de educação e cuidados para a primeira infância é mais relevante para os alunos de famílias com menos recursos”; iv) “Portugal apresenta a percentagem mais elevada de alunos provenientes de escolas de meios maioritariamente desfavorecidos que conseguem alcançar, em todos os domínios, pontuações acima da média internacional”; v) “Os alunos que frequentam escolas mais orientadas para o sucesso escolar obtêm melhores desempenhos”.

91,1%

Dados sobre a taxa de alfabetização da população santomense, que são indicadores do desenvolvimento de uma nação:

91.1% da população de STP é alfabetizada

Estudo "Novos contextos, novas exigências e experiência docente em tempos de pandemia"

Divulgação:

(...) Em particular e de distintos modos, os professores em Portugal tiveram de continuar a tarefa de educar crianças e jovens a partir de sua casa, para que as suas famílias não sofressem demasiado o efeito da pandemia COVID-19 e para que, pelo contrário, pudessem continuar a aprender e a lidar com a incerteza. Com o propósito de conhecer o modo como os professores/as portugueses/as vivem estas novas exigências, elaborámos este inquérito por questionário. As suas respostas farão parte de um registo histórico sobre como, em que condições e com que êxitos e fracassos os professores/as portugueses/as mantiveram o seu compromisso com a educação dos seus alunos/as.

Este inquérito por questionário, que esperamos poder enviar-lhes mais de uma vez nos próximos seis meses, tem como finalidade recolher a sua experiência pessoal nestas circunstâncias e conhecer o modo como mantêm contacto à distância com as equipas de direção, os pais e encarregados de educação, os/as alunos/as bem como exemplos de inovações pedagógicas que puderam realizar com ou sem apoio tecnológico, possibilidades do trabalho colaborativo, frustrações e satisfação profissional e o tipo de apoios que foram úteis ou que gostariam de ter tido.

Este estudo faz parte de um projeto internacional (a que se associarão professores do Chile, da Espanha, dos EUA, de Israel e do Uruguai) e é liderado por Beatrice Ávalos, Centro de Investigación Avanzada en Educación, Universidad de Chile. Em Portugal, o projeto é coordenado por Maria Assunção Flores e Ana Margarida Veiga Simão, numa parceria entre o Centro de Investigação em Estudos da Criança (CIEC), do Instituto de Educação da Universidade do Minho e o Centro de Investigação em Ciência Psicológica da Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa. Neste sentido, convidamo-lo(a) a responder a um inquérito por questionário, cujo preenchimento demorará cerca de 15 minutos. (...)

Resultados - E@D (E-Learning - Apoio)

Resultados do inquérito promovido através do grupo no Facebook, E-Learning - Apoio, que teve 4150 respostas. Um balanço a considerar no momento de avaliar todo o 3º período e ponderar soluções e caminhos para o ano letivo 2020/2021.

Notícia: Professores querem levar o mundo digital também para as salas de aulas

Ensino a Distância: Questionário a Professores (Centro de Economia da Educação da Universidade Nova de Lisboa)

Resultados preliminares (1586 respostas recebidas desde o dia 25 de março até ao dia 8 de abril de 2020)

O Centro de Economia da Educação da Universidade Nova de Lisboa está a realizar um inquérito junto de professores do ensino básico e secundário, de escolas públicas e privadas, sobre as soluções de ensino a distância que têm sido adotadas no atual contexto de pandemia de COVID-19.
Apresentamos aqui resultados preliminares sobre o acesso dos alunos a computador com ligação à Internet e as estratégias de ensino a distância que têm sido adotadas, com base nas 1586 respostas recebidas desde o dia 25 de março até ao dia 8 de abril de 2020.
Estratégias de ensino a distância - por tipos de ensino
Elementos de avaliação recolhidos

Perfil dos Estudantes à Saída do Ensino Secundário em 2017/2018

Henriques, A. (2020). Principais Razões Para Os Alunos Reprovarem Ou Terem Módulos Em Atraso. Retrieved 16 June 2020, from https://www.comregras.com/principais-razoes-para-os-alunos-reprovarem-ou-terem-modulos-em-atraso/

Os dados referem-se ao perfil dos Estudantes à Saída do Ensino Secundário em 2017/2018, em mais um estudo da DGEEC. Sem surpresa, a falta de estudo é a opção mais referida pelos alunos para justificarem o seu insucesso escolar. Quem anda nas escolas sabe perfeitamente que a falta de aplicação/dedicação dos alunos é determinante para o insucesso escolar, muito embora o insucesso seja uma espécie em vias de extinção por motivos pedagógicos e económicos.

Documento original: Estudantes à saída do Secundário em 2017/2018 (Dados provisórios)