Arquivo da Categoria: Textos

Planificações

O primeiro contacto com o conceito de planificação em unidades curriculares da área da Didáctica deixou uma marca indelével sobre a necessidade de cumprimento e que estas eram um mapa rumo a um destino, que permita alguns desvios pontuais.

Anos após os auditórios dos departamentos de Física e de Química da Universidade de Coimbra descobre-se que planificar é éfemero e que uma viagem que sai totalmente fora de rota é o melhor que pode acontecer.

Numa altura em que o Mundo é dominado pela tecnologia, os problemas são de uma complexidade que demasiadas vezes não conseguimos compreender na totalidade é bom saber que o fundamental é a aposta na Humanidade. O que nos torna especiais não é a capacidade de criar um processador, antes o que conseguimos fazer com ele e a capacidade que temos de quebrar toda uma série de regras e gerar algo que é maior que a soma das partes.

P.S. Alguns dirão que esta publicação é sobre a PAFC.

Tempo e Espaço

No fim de um dia dedicado a Albert Einstein e ao seu legado científico, os conceitos de tempo e espaço revelam a sua ingratidão.

A distância é madrasta e o tempo ilusório.

No final, como ficou para a História, a relatividade é explicada através da ideia que mergulhar a mão em água a ferver durante 5 segundos é uma eternidade e uma conversa agradável com a duração de 5 minutos aparenta ser apenas um instante.

Uma apropriação de como Albert Einstein explicou a relatividade a alguém e que faz todo o sentido na vida real.

Einstein foi não só uma mente genial, mas um de nós que nunca desvalorizou a parte Humana, elemento fundamental da nossa identidade.

In memoriam

Em certos momentos as palavras não surgem facilmente ou puramente não existem palavras capazes de exprimir um sentimento ou não estamos onde deveríamos estar.

Antoine de Saint-Exupéry, na sua obra mais conhecida, O Principezinho, a dado momento escreveu:

... é muito simples: somente vemos bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos.

É muito importante ter a capacidade de distinguir entre o essencial e o acessório, afinal tudo tem um fim.

Certos momentos são um instante de perda irreparável e um fim é demasiadas vezes definitivo.

Certos eventos têm o dom de revelar o quão irrelevante o desperdício de energia em futilidades e discussões estéreis.

O Dalai Lama ("O Livro de Dias") escreveu que "não podemos esquecer que é importante seguir um método correto para atingir nosso objectivo – pois o método é que é importante."

Uma grande lição, afinal de tudo, a felicidade nasce das nossas ações e não de um CV ou outro produto qualquer.

 

P.S. “It Is What It Is.”

No fim

A vida é feita de múltiplos detalhes que se combinam para criar uma complexidade que foge do nosso controlo e que à qual tentamos dar significado. Um diploma, um anúncio no Público e uma decisão baseada num programa de televisão em 2005, transformaram-se numa viagem de avião com destino a São Tomé. Decisão pouco ou nada pensada, mas que se revelou uma experiência única. Anos que parecem instantes, momentos de constante aprendizagem, culminados com a certeza que a mudança é possível. Uma das frases que ficam na memória do IV Congresso Internacional de Educação Ambiental dos Países e Comunidades de Língua Portuguesa foi a citação - “Sê a mudança que queres ver no Mundo” (Gandhi). Verdade profunda, difícil de operacionalizar, mas possível de tornar possível. Obrigado por me lembrarem disso antes do voo de regresso!

Dois vídeos, exemplo das inúmeras mudanças nos últimos 12 anos em São Tomé e Príncipe. Uma etapa que se encerra, um novo caminho que se inicia! Obrigado a todos, em particular, aos que colocaram pedras no caminho, pois sem eles a aprendizagem não teria sido tão profícua e marcante.

Ontem, hoje e amanhã:

“You have no responsibility to live up to what other people think you ought to accomplish. I have no responsibility to be like they expect me to be. It's their mistake, not my failing.”

(Richard Feynman, Surely You're Joking, Mr. Feynman!: Adventures of a Curious Character)

 

Desigualdades

Num sistema económico onde reinam as desigualdades, o mais aterrador é que a sobrevivência passa pela indiferença. Existe uma permanente falta de empatia entre todos, deixando pessoas à margem. As consequências são terríveis e muitos decidem apenas viver no seu mundo, recusando ver a dura realidade.

Segurança nos tempos modernos

Ontem noticiava-se que existem cerca de 6000 elementos das forças de segurança a acompanhar a peregrinação a Fátima do Papa. Ao mesmo tempo falava-se que a PT foi alvo de ataque informático, que também afetou a Telefónica em Espanha e o National Health Service em Inglaterra.

Vivemos na era da informação, num mundo digital e é preocupante a relação que as pessoas têm com algo tão elementar como um antivírus ou a captação de imagens não autorizadas.

Assim como a esmagadora maioria dos entrevistados não se mostrou descontente com a reposição do controlo fronteiriço em Portugal durante a visita do Papa, também deveria importante a proteção dos dados pessoais e a segurança informática.

A WWW não é tão inócua como se pensa e a proteção de dados não se restringe a um país:
Google recusa “apagar” nomes na Net e processa Protecção de Dados

“O direito à imagem e o direito à palavra no âmbito do processo penal”

Neste sentido, MANUEL DA COSTA ANDRADE sustenta que “(…) [também] a
imagem configura um bem jurídico eminentemente pessoal, com a estrutura de uma
liberdade fundamental, que reserva à pessoa uma posição de domínio. É à pessoa que
assiste, e em exclusivo, o direito de determinar quem pode gravar, registar, utilizar ou
divulgar a sua imagem. O direito à imagem emerge nesta linha como expressão
concretizada da autonomia pessoal.”