Arquivo da Categoria: Sei lá…

Clip

Uma invenção do norueguês Johan Vaaler em 1899, que é provavelmente o objecto mais simples do mundo, com mais utilidade e um design fantástico.

Clip de papel
https://www.publicdomainpictures.net/pictures/40000/velka/paper-clips-on-white-background.jpg

Também é um objecto extremamente curioso, uma vez que durante a Segunda Guerra Mundial, os noruegueses foram proibidos de usar botões com as iniciais ou qualquer imagem relacionadas com o seu rei. De forma a protestar utilizavam um clip, inventado por um seu conterrâneo. Os nazis em retaliação podiam prender quem fosse apanhado usando um clip.

Ficheiro perdido

Paciência vs. burocracia

Quando é tudo para ontem e pedem a mesma informação n vezes, sendo que o pedido n+1 será sempre num suporte / formato diferente do anterior começa a faltar a paciência. Sendo que o tempo não é algo que não existe em quantidade infinita e que o Paulo Guinote já escreveu:

"Não é multiplicar operações ou agregá-las de forma mais complexa do que antes. No fundo, é tornar mais simples, célere, amigável, algo que se fazia antes. Só isso."

Não há muito mais a dizer. Simplificar não é multiplicar o mesmo pedido por n!

P.S. Cada um substitui n pelo número que desejar.

Burocracia - séc. XXI

Independentemente do formato, analógico ou digital, a mentalidade e o consumo de tempo permanecem inalterados. Numa forma Web 2.0, com mais ou menos requinte tecnológico, a capacidade de tornar o tempo um bem nulo, a burocracia tem crescido de uma forma perene e muito discreta. Orwell não teria criado uma forma mais subtil de controle camuflado de supervisão e aferição.

A ler: 6ª Feira, de Paulo Guinote