Arquivo da Categoria: Sei lá…

Mar

Praia dos Tamarindos em São Tomé

Praia dos Tamarindos - São Tomé

Entre Portugal e São Tomé e Príncipe desde 2005. Anos de aprendizagem, a certeza que se partilha muito mais que uma língua. Ligações inesperadas, momentos surpreendentes, episódios impossíveis de colocar por palavras. Uma vida entre 2 países, anos que parecem 2 ou 3 semanas. Inúmeras pessoas, histórias para contar, locais de beleza sublime, instantes de sucesso, imagens marcantes. A certeza que todas as semanas algo de novo me irá surpreender, a serenidade de estar junto ao mar.

Obrigado a todos que tornaram estes anos inesquecíveis! E um pedido de desculpa a quem, por inúmeras vezes, prometi regressar!

 

 

RIP

Pode um programa sobre comida e viagens mudar a vida de alguém? Pode uma pessoa, num programa sobre World Food mostrar o melhor da Humanidade? Pode um americano mostrar um pouco do que faz Portugal ser um destino de eleição? Pode um ser humano mostrar as suas imperfeições e simultaneamente mostrar que existe todo um mundo a descobrir e procurar ser feliz?

Todas merecem e devem ser respondidas com SIM!

O Miguel Esteves Cardoso, numa crónica do Público, consegue dizer tudo - Paz à alma grande de Anthony Bourdain.

RIP Anthony Bourdain

Ponto de Lagrange

Existem locais onde nos sentimos bem, onde a estabilidade impera. Alcançar estes pontos pode ser uma viagem pela imensidão cósmica, sem possibilidade de prever data ou hora de chegada. Os pontos de Lagrange, definidos no século XVIII, têm aplicações importantes e consequências em Astronomia, são uma metáfora importante.

Alcançado um ponto de Lagrange existe uma tendência em ficar lá, orbitando em torno de algo maior que nós e com companheiros de órbita semelhantes a nós.

Decisões

Existem decisões simples e decisões que mudam o curso da nossa vida. Com a idade a tomada de decisões é um processo mais complexo, pois a experiência ajuda a compreender as possíveis ramificações de cada ação.

Por vezes uma decisão parece errada por diversas razões, por exemplo, sair da zona de conforto e ir rumo ao incerto pode ser desconfortável. No entanto a definição de zona de conforto não é tão linear como aparenta, pois o que considero a minha zona de conforto é o que outra pessoa chama de desafio e processo de descoberta. O incerto pode ou não ser conduzir a uma jornada que leva a crescimento profissional e pessoal.

A vida é feita de inúmeras interações e felizmente existem diversos momentos fortuitos, irrelevantes mesmo, que são a peça final de uma árvore de decisões. Uma simples pergunta pode ser a chave para a conclusão de uma decisão ou uma análise SWOT.

Um dia, alguém perdeu parte do seu tempo, a me mostrar que o melhor é mesmo tomar a decisão que menos nos beneficia no imediato, pois a vida é curta e temos que aproveitar a viagem.

Curiosamente 6 anos e 6 meses depois, uma outra pessoa mostrou me que efetivamente, como a expressão popular traduz quase na perfeição, mais vale ser engraçado do que ter graça, a realidade pode ser injusta para algumas pessoas. Serás sempre recordado por algumas pessoas não pelo que fazes, mas sim pelas tuas falhas. Mesmo quando fazes, existe sempre uma "alma caridosa" que mostra como é irrelevante o que foi alcançado. Estranha forma de olhar a vida e de procurar a felicidade!

Duas frases, dois momentos, talvez menos de 30 segundos no total e uma hipótese de caminho passa a uma decisão confiante.

Poesia

Copiado de http://www.comregras.com/jaze-morto-e-nao-sabe/

Jaze morto e não sabe

Andas por ai

Dizes que és, mas não és

Que fazes isto e aquilo, mas não fazes

Falas em ir, mas nunca vais

Fazes o que tens de fazer e o que te mandam

Vais trabalhar e por lá, ainda fazes mais

Vais por ali, porque te dizem e por lá te mandam

Não sabes para onde, mas vais

Vais por ali que é por lá que deves ir

Não vais para lugar diferente dos que contigo vão

Vais levado por uma trela como se fosses um cão.

Vais começar a ir para algum lugar quando não seguires por aí

Vais chegar a algures quando começares a pensar por ti

Não olhes para onde vão os outros, não vás por aí

Não ouças quem te diz para ficar por aqui.

Se por aqui ficares, assim pensares

É como se, para ti, tudo acabe

E jazes morto e não sabes.

Rui Emanuel